0


No dia 21 de maio de 2018, teve início em todo o Brasil a greve dos caminhoneiros autônomos, que viria a abalar ainda mais as estruturas econômicas do País, combalido pelas crises políticas. Pouco mais de dois meses após o início da paralisação — que durou 10 dias —, os reflexos ainda podem ser sentidos no bolso do consumidor.

Ao menos é nesse sentido que aponta um levantamento feito pelo Bem Paraná com base nas informações do Disque Economia, disponibilizadas pela Prefeitura de Curitiba em seu site de Dados Abertos (http://www.curitiba.pr.gov.br/dadosabertos/consulta/). O estudo comparou os preços de 147 produtos vendidos em nove mercados da Capital nos dias 18 de maio e 16 de julho, sendo que 55% dos itens avaliados (81 produtos) registraram alta de preço.

Entre os produtos com maiores variações positivas, destaque para o amido de milho, que ficou 60,5% mais caro, a banana caturra (+46,86%), o leite longa vida desnatado (+46,29%) e integral (+44,2%) e o fermento seco biológico (+37,1%). Na outra ponta, os itens que registraram maior queda de preço foram a cebola, que ficou 54,41% mais barata, o azeite de oliva extravirgem (-47,73%), o contrafilé de carne bovina com osso (-38,82%), a acelga (-31,13%) e a carne moída de primeira (-27,98%).

De acordo com Rogério Pryjmak dos Santos, coordenador do Disque Economia (o serviço é responsável por pesquisar, diariamente, o preço de diversos itens nos supermercados da cidade), o problema principal foi a falta de fornecimento, que acabou resultando no estrago de alguns produtos e na morte de animais.

Segundo o especialista, a maior parte dos produtos não deve ter a situação normalizada “tão cedo”, principalmente os hortifruti, frango (muitos animais morreram pela falta de ração) e leite. No caso deste último, inclusive, os preços até hoje não pararam de subir — tanto que o preço do leite integral e desnatado, que em maio saía por R$ 2,40, em junho já havia subido para R$ 3,40 e hoje está sendo vendido, em média, por R$ 3,50 (na semana passada).

“Neste ano, a oferta está prejudicada por contra da entressafra, comum no inverno, pelos reflexos da greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio, e o alto preço das commodities, usadas para a suplementação alimentar dos animais”, avaliou Alexandre Monteiro, analista de Desenvolvimento de Mercado da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), em reportagem publicada pelo Bem Paraná na última segunda-feira. “Então não tem como estimar uma acomodação dos preços”, disse.

Greve dos caminhoneiros

A greve dos caminhoneiros autônomos durou dez dias e provocou desabastecimento em diversas cidades do País e do Paraná. Os caminhoneiros protestavam contra o preço do diesel e do frete. Segundo eles, a situação havia chegado a um ponto que eles praticamente não ganhavam nada com o trasnporte de cargas. A greve só terminou depois que o governo prometeu baixar o preço do diesel.



Veja os produtos que tiveram a maiores altas e baixas



Em alta



81 produtos subiram de preço nos mercados de Curitiba, com variações entre 60,5% e 0,59%





















































































































Amido de milho (pacote 450g)




Variação




+60,5%




Preço médio atual




R$ 7,34




Banana caturra (quilo)




Variação




46,86%




Preço atual




R$ 3,15




Leite longa vida desnatado (litro)




Variação




46,29%




Preço atual




R$ 3,51




Leite longa vida integral (litro)




Variação




44,20%




Preço atual




R$ 3,46




Fermento seco biológico (pacote de 125g)




Variação




37,10%




Preço atual




R$ 7,32




Achocolatado em pó (pote de 400g)




Variação




35,96%




Preço atual




R$ 5,22




Farinha de trigo (pacote de 5 kg)




Variação




34,91%




Preço atual




R$ 11,44




Chuchu (quilo)




Variação




32,73%




Preço atual




R$ 2,31




Açúcar Cristal




Variação




29,22%




Preço atual




R$ 9,86




Goiabada (bandeja de 1kg)




Variação




28,09%




Preço atual




R$ 8,90




Em queda



66 dos produtos pesquisados tiveram os preços reduzidos, com variações entre 54,41% e 0,19%





















































































































Cebola (quilo)




Variação




-54,41%




Preço atual




R$ 2,53




Azeite de oliva extra virgem (fraco de 500ml)




Variação




-47,73%




Preço atual




R$ 9,84




Carne bovina com osso contrafilé (quilo)




Variação




-38,82%




Preço atual




R$ 10,98




Acelga (unidade)




Variação




-31,13%




Preço atual




R$ 2,67




Carne bovina mída de primera (quilo)




Variação




-27,98%




Preço atual




R$ 14,04




Charque dianteiro bovino (meio quilo)




Variação




-27,57%




Preço atual




R$ 12,15




Carne bovina sem osso patinho (quilo)




Variação




-26,30%




Preço atual




R$ 15,14




Batata “Lavada” (quilo)




Variação




-20,40%




Preço atual




R$ 2,24




Farinha de milho (quilo)




Variação




-19,58%




Preço




R$ 3,81




Café solúvel (100 gramas)




Variação




-18,86%




Preço atual




R$ 7,24





Fonte: Portal Lácteo
PATROCINADORES
Samaq Comercial de Máquinas
Representações Francesquet
Colégio Teutônia
Metalúrgica Wagner
Anuncie Aqui
Futura Imóveis
Wizard Teutônia
Fritz Ordenhadeiras
Alles Gut
Digiserv
Portal Atividade Rural 2018
contato@atividaderural.com.br | Fone: (51) 9135-4200