0


Parcelas de demonstração no Quênia mostram que as variedades de milho geneticamente modificadas (OGM) são mais eficazes no controle de ataques de insetos do que suas contrapartes convencionais sem o uso de pesticidas. Como resultado da proteção de pragas fornecida pelo gene Bt, o milho GM superou as variedades convencionais três vezes por hectare, de acordo com a avaliação pós-colheita das parcelas de demonstração do projeto TELA no leste do Quênia e no vale do Rift. 



O milho TELA também fornece tolerância à seca. No entanto, essas demonstrações mostraram os efeitos do traço Bt. “Os resultados são atraentes '', diz James Karanja, investigador do projeto de milho TELA do Quênia, à Alliance for Science. “Em Kiboko, por exemplo, vimos milho Bt produzindo 10 toneladas por hectare, em comparação com não-Bt produzindo entre 3 e 4 toneladas [por hectare]”, completa. 



''Os cientistas estão desenvolvendo tecnologias que podem contribuir para a segurança alimentar e prosperidade entre os quenianos”, disse o Dr. Stephen Mugo, criador de milho e representante do país no Quênia, com o Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo (CIMMYT). “Se os agricultores cultivarem milho com essa tecnologia, isso ajudará a reduzir o uso de pesticidas, que têm uma maneira de entrar nos cursos de água “, indica. 



Os resultados têm implicações significativas para o Quênia, onde a produção de milho foi severamente reduzida por secas e pragas de insetos, principalmente as lagarta-do-outono. Se esses dois fatores fossem controlados, os agricultores quenianos poderiam ter colhido 60 milhões de sacas este ano, "o que significa que estaríamos seguros de alimentos e teríamos um excedente de 6 milhões de sacas", disse Karanja. Em vez disso, eles devem colher apenas 35 milhões de sacas este ano. 




Fonte: agrolink
PATROCINADORES
Wizard
Sicredi
Metalúrgica Wagner
Anuncie Aqui
Futura Imóveis
Wizard Teutônia
Digiserv
Portal Atividade Rural 2019
contato@atividaderural.com.br | Fone: (51) 9135-4200