0


Alguns pesquisadores, como Olga Walsh, da Universidade de Idaho, nos Estados Unidos, estão investigando o uso de drones para árvores frutíferas e concluíram que eles podem potencializar o trabalho dos fruticultores. A maioria das aplicações agrícolas de drones, ou veículos aéreos tecnicamente não tripulados (UAVs), foi realizada em culturas de grãos como trigo, milho e soja. 



"A adoção e o uso de sensores de safra na produção agrícola economizam milhares de dólares todos os anos em muitas safras", diz Walsh. “Os sensores de cultivo também ajudam a melhorar significativamente a eficiência dos insumos agrícolas, como fertilizantes e água. Finalmente, os drones podem minimizar os impactos negativos das atividades agrícolas na qualidade ambiental”, completa. 



Em Idaho, a indústria de frutas cultiva uvas, mirtilos, maçãs e até frutas alternativas, como as peras asiáticas. As maçãs são a maior colheita de frutas em Idaho, com mais de 60 milhões de libras de maçãs produzidas por ano. 



A equipe de pesquisa de Walsh se concentrou na aplicação da tecnologia UAV em árvores frutíferas. Seu trabalho anterior foi com trigo e outras culturas. "Sabemos que os drones podem ser usados em pomares. Mas não há recomendações dos produtores sobre quais dados devem ser coletados e que tipo de dados são mais úteis, dependendo do objetivo do produtor, indica". 



Assim como outros usos de drones na agricultura, o trabalho de Walsh ajuda a coletar informações detalhadas sobre as colheitas, mais rapidamente que os produtores, "explorando" fisicamente os campos. Os UAVs são capazes de adquirir imagens com altas resoluções, ideais para detectar vários problemas de corte", conclui. 




Fonte: agrolink
PATROCINADORES
Sicredi
Wizard
Metalúrgica Wagner
Anuncie Aqui
Futura Imóveis
Wizard Teutônia
Digiserv
Portal Atividade Rural 2020
contato@atividaderural.com.br | Fone: (51) 9135-4200